Tortura na Idade Média, perseguição aos hereges.

19:14 Wellington Campos 1 Comentarios




Entre a Idade Média e a Idade Moderna, a humanidade viveu um período de extrema perseguição religiosa. A não tolerância por parte da Igreja Católica vez com que governos e igreja fossem em busca do hereges, ou seja, aqueles que não aceitavam ou tinham pensamentos ao catolicismo, lembrando que a Igreja Católica neste período tem sua imagem ligada a venda de Indulgência e outros tipos de métodos considerados por uns como corruptos e inadequados a vontade de Deus.

Para que isso ocorresse montou-se todo um aparato para perseguir e julgar estes hereges, um tribunal foi criado somente para estes julgamentos e as condenações deviam despertar em todos o medo e o sentimento de exemplo.

Não cabe para o período uma análise tão breve como esta, mas sim um aprofundamento maior por parte de você leitor deste post, principalmente que o primeiro pensamento que nos vem em mente é que este sistema reflete o poderio da Igreja Católica e que é muita crueldade aplicada nos julgamento e torturas do período. Entretanto devemos deixar claro que o momento vivido por estes agentes históricos são tomados de verdades que na época eram quase que incontestáveis e vemos que cada fato guarda em sim as mudanças culturais da sociedade que vistas após longos séculos nos parece simples e que não merece atenção.

A figura acima é a "tortura d'agua", neste aparelho o acusado era amarrado de barriga para cima em uma mesa estreita ou cavalete. Sem poder esboçar a mínima reação, os inquisidores introduziam um funil na boca do torturado e despejavam vários litros de água goela abaixo. Algumas vezes, um pano encharcado era introduzido na garganta, causado a falta de ar.

Outros Métodos

No livro Malleus Maleficarum (1486), estão escritos os principais métodos de tortura às bruxas empregados na época.
1 - Tortura preparatória. Mostrar ao acusado a câmara de suplícios, desnudá-lo, colocar uma máscara de ferro em sua cabeça e aplicar-lhe parafusos nos polegares ou esticá-lo no strapado (instrumento que deixava pendurada a vítima).

2 - Tortura normal. O prisioneiro era amarrado de mão para as costas, e em seguida içado ao ar.

3 - Tortura mais forte. O prisioneiro continuava içado ao ar, aos pés colocavam pesos. De repente afrouxavam as cordas fazendo-o cair, mas só até um certo ponto, sem tocar no chão. A um metro do solo ele parava, e o choque dessa parada brusca deslocava todos os seus ossos.


4 - Torturas adicionais. Quando a vítima era acusada de crimes de alta heresia, amputavam as mãos e dilaceravam suas carnes com pinças em brasa.

5 - Torturas particulares. Em algumas prisões eram inventados novos métodos de supliciar o condenado, a vítima morria às vezes esmagada num sarcófago cheio de pregos, ou afogada numa tina de chumbo derretido.

6 - Execução final. Podia ser na fogueira, na forca, por esquartejamento ou enterrada viva. No caso do esquartejamento a vítima era amarrada em quatro cavalos que o puxavam pelas pernas e braços.



Gostou Compartilhe...


Um comentário:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga